Ministério da Educação
Educação

País regista redução na taxa de crianças fora do sistema de ensino

A taxa de crianças fora do sistema normal de ensino no país reduziu significativamente nos últimos cinco anos de 21,2 por cento para 12,5, refere um relatório do Ministério da Educação veiculado a imprensa.

Apesar do esforço do Executivo visando a expansão escolar, muitas crianças estão fora do sistema de ensino

O documento indica que em relação à média anual de cidadãos alfabetizados é de 658.200, que corresponde a uma taxa de analfabetismo de aproximadamente 24 por cento da população com 15 ou mais anos de idade.

O secretário de Estado para o Ensino Pré-escolar e Geral, Joaquim Cabral, admitiu a imprensa que houve uma redução em termos de oferta educativa, entre 2016 e 2017, face as limitações financeiras.

“ouve uma redução na ordem de 49 por cento do número total de alfabetizadores em todo o país”.

Joaquim Cabral disse que quanto à taxa de aprovação houve um aumento três pontos percentuais e uma diminuição de um ponto em termos de reprovação.

Sublinhou que relativamente aos percentuais de abandono escolar, registou-se uma baixa de dois pontos, o que representa uma melhoria nas taxas de rendimento escolar na ordem 77 por cento em 2013, para 80 em 2016.

Em relação ao Departamento Ministerial da Educação obteve-se um crescimento médio de diplomados na ordem dos 20,6 por cento, distribuídos em subsistema do ensino geral, com 26,0, subsistema de formação de professores, 22,7 e o subsistema do ensino técnico profissional com 15,27.

O relatório que realça as actividades do sector, realizadas de 2013 a 2017, refere que, neste período, foram lançados para o mercado do trabalho ou ingressaram ao ensino superior 315.916 alunos graduados, sendo 166.708 do ensino geral, 98.373 do ensino técnico profissional e 50.835 saídos das escolas de formação de professores.

Durante o quinquénio, esclarece o documento, a oferta formativa do Ensino Secundário Técnico Profissional apresentou um crescimento considerável, e a rede de escolas públicas e privadas aumentou, de 152 para 241 escolas. Também houve um crescimento no número de cursos, de 116 em 2013 para 243 em 2017.