Ministério da Educação
Educação

Governos devem garantir educação de qualidade

A Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) destaca a responsabilidade dos governos em fornecer uma educação universal de qualidade. De acordo com a directora-geral da agência especializada da ONU, Irina Bokova, “a educação é uma responsabilidade compartilhada entre todos – governos, escolas, professores, pais e actores privados.”

A responsável acrescentou que o cumprimento dessas responsabilidades define o modo como professores ensinam, os estudantes aprendem e os governos agem.

A educação deve ser planeada com cautela e com os princípios de igualdade, inclusão e qualidade.
O relatório, intitulado "Responsabilidade na educação: cumprir os nossos compromissos", é o segundo da série de relatórios sobre o monitorização global da educação, que analisa o progresso rumo ao objectivo de desenvolvimento sustentável para a educação.

O estudo mostra que culpar os professores por ausência escolar e por resultados insatisfatórios em testes é, de maneira geral, injusto e destrutivo. Por exemplo, entre 2013 e 2014, quase metade da ausência escolar dos professores na Indonésia ocorreu devido à permissão de tempo livre para estudar, sem que o Governo tivesse oferecido professores substitutos.

Na União Europeia, entre 2009 e 2014, 38 por cento das propostas de educação e formação só apresentaram um licitante, em comparação com 16 por cento das propostas no sector da construção. A Unesco revela que a situação indica que o risco de corrupção é maior na educação do que no sector de construção.

O documento enfatiza a importância da responsabilidade para enfrentar lacunas e desigualdades. A nível mundial, menos de 20 por cento dos países garantem legalmente 12 anos de educação gratuita e obrigatória. Actualmente, há 264 milhões de crianças e jovens fora da escola e 100 milhões de jovens incapazes de ler.

Segundo a Unesco, nenhuma abordagem sobre a responsabilização vai ser bem-sucedida sem um ambiente sólido, que forneça aos responsáveis recursos adequados, capacidade, motivação e informação para cumprir com os seus compromissos.

A agência especializada da Organização das Nações Unidas pede aos governos que ofereçam às escolas e aos professores mecanismos de responsabilização que evitem métodos punitivos, especialmente aqueles com base em medidas limitadas de desempenho.

                                                                       Jornal de Angola