Ministério da Educação
Educação

Educação prevê exames nacionais a partir deste ano


Manuel Afonso disse que com esta medida, pretende-se  que a avaliação contínua entre na fórmula da classificação final do aluno, ao contrário da actual, que leva apenas em consideração o resultado do exa me final.


 


Manuel Afonso esclareceu que os exames têm carácter de certificação, ou seja, a classificação final do aluno dependerá de 40 por cento do total da avaliação contínua e 60 por cento dos exames.  


 


Explicou que os resultados dos alunos servirão para a avaliação de todo o sistema, que passará pelo desempenho do discente, do professor, da escola, do Gabinete Provincial da Educação e do Ministério da Educação.


 


“Em 2019, a aposta recai para a aprendizagem, levando a que o professor interaja mais com o aluno”, reforçou o responsável. Ainda para o ano 2019, o Ministério da Educação prevê o lançamento do transporte escolar. Para o efeito, está a trabalhar, em cooperação com o Ministério dos Transportes, para encontrar as melhores modalidades para atender as necessidades a nível nacional.


 


Em relação ao processo de distribuição de manuais nas escolas públicas, Manuel Afonso informou que estão a trabalhar com todos os intervenientes no sistema, a fim de diminuir a burocracia e, desta forma, o desvio para os mercados paralelos. Actualmente, a produção envolve o INIDE, Ministério da Indústria e a empresa encarregue da distribuição.


 


Em 2018, a Educação promoveu uma auscultação para o enriquecimento da proposta da Política do Livro e tão logo seja aprovada, em 2022, os novos manuais serão distribuídos no quadro de um novo programa.